Fapespa e parceiros se reúnem para debater a conjuntura econômica

Com a proposta de promover debates e estabelecer um grupo de estudos sobre a conjuntura econômica nacional e estadual, representantes do Banco do Estado do Pará (Banpará), secretariais estaduais e demais entidades ligadas ao ramo empresarial estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira (21), com a diretoria da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas […]

Com a proposta de promover debates e estabelecer um grupo de estudos sobre a conjuntura econômica nacional e estadual, representantes do Banco do Estado do Pará (Banpará), secretariais estaduais e demais entidades ligadas ao ramo empresarial estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira (21), com a diretoria da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), no auditório da Agência Empresarial do Banpará.

O objetivo da criação do grupo é agregar valor às estimativas e projeções de indicadores econômicos elaborados pela Fapespa e, desta forma, subsidiar o atendimento de demandas da gestão estadual, além de contribuir para o acompanhamento da conjuntura socioeconômica do Pará, por meio de análises específicas sobre as principais áreas afins.

Na primeira reunião, mediada pelas diretoras de Socioeconomia e de Estatística da Fundação, Geovana Pires e Glaucia Moreira, respectivamente, as discussões estiveram concentradas no planejamento de ações futuras com as instituições, tendo em vista que cada entidade tem uma visão particular sobre determinados indicadores econômicos e sociais, o que pode enriquecer os debates e gerar estudos ainda mais aprimorados.

A diretora de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural da Fapespa, Geovana Pires, explicou que os estudos desenvolvidos pela fundação estão sendo ampliados e pensados para envolver parceiros. “A nova linha de trabalho da Fapespa visa buscar junto a instituições parceiras um maior atrelamento para a análise de dados e disseminar informações ainda mais consistentes que subsidiem as políticas públicas no Pará”.

Segundo o secretário extraordinário para coordenação do Programa Municípios Verdes (PMV), Justiniano Netto, as reuniões serão importantes para alinhar informações entre o grupo a fim de contribuir para o desenvolvimento do Estado. “É interessante termos esses diálogos para que as entidades empresariais, órgãos públicos e agentes financeiros se debrucem sobre os números nacionais e estaduais e troquem experiências e apresentem o olhar de cada um sobre as causas e expectativas de resultados. Acho que será uma interação muito rica e irá contribuir muito para o Estado do Pará”, avaliou.

O supervisor técnico do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Roberto Sena, ressaltou a tradução de informações que cada instituição pode dar, construindo, assim, uma unidade de proposições e seus rebates na economia do Estado. “Temos muita informação, porém, desagregada, daí a importância de reunir parceiros de modo que a gente possa reunir demandas e construir um trabalho em defesa do nosso estado, da nossa sociedade. Além disso, acredito que, em médio prazo, nós possamos elaborar estudos conjuntamente”, acrescentou.

“A oportunidade de reunir pessoas qualificadas, dos mais diversos segmentos, trazer para os debates e fazer uma leitura com foco no nosso Estado e na nossa região para aperfeiçoar o planejamento e avaliação de toda a gestão, seja da iniciativa pública ou privada, é o que esperamos como resultado”, destacou Adilson Dias, da Superintendência de Planejamento e Orçamento do Banpará. Entre as definições da reunião estão as agendas de discussão, que deverão ser feitas mensalmente.